Notícias

Entrevista do Sr. Atala Mansour, Síndico do Condomínio Edifício Charles de Gaulle

Entrevista do Sr. Atala Mansour, Síndico do Condomínio Edifício Charles de Gaulle

Atala Mansour é o atual síndico de um dos maiores e mais importantes condomínios do Rio de Janeiro – o Edifício Charles de Gaulle. Nesta entrevista, nos conta alguns dos cuidados que devem ser tomados para manter a segurança do edifício.

P:  Quando o senhor assumiu o cargo de síndico de um  importante Centro Empresarial como é o Edifício Charles de Gaulle, quais foram os seus maiores desafios?

R:  Resgate da Identidade deste fantástico Centro Empresarial. Hoje, após 18 meses de trabalhos, o CDG já confirma uma valorização patrimonial de 110% quanto ao valor de venda de imóveis, mostrando que o objetivo já foi alcançado, garantindo ainda que com a conclusão de algumas reestruturações, a valorização patrimonial deverá chegar aos 205% dentro de mais um ano.
P:  Com relação à adequação do prédio ao código do Corpo de Bombeiros Militar, em que situação se encontrava o prédio na ocasião?
R:  Completamente DESATUALIZADO E SEM QUALQUER TRATO SÉRIO. Quando assumi em junho de 2009, meu primeiro projeto foi garantir a integridade dos habitantes deste Condomínio, contratando esta maravilhosa Sprink para a obtenção do Laudo de Exigências. Hoje, nada é mais importante do que atender a todos os itens exigidos pelo CBERJ e qualificar este Condomínio como um dos mais bem aparelhados do Brasil na prevenção e combate a Incêndio.
P:  Quais as providencias que o senhor tomou para assegurar a segurança dos condôminos e visitantes com relação a prevenção de riscos?
R:  Por em funcionamento os equipamentos de detecção, alarme, autofalantes e hidrantes, mesmo que alguns itens ainda não estejam dentro do rigor que pretendo obter.
P:  Qual a importância e por que manter uma brigada de incêndio?
R:  Nada é mais importante que uma Brigada de Incêndio. São eles que são a primeira frente de batalha contra qualquer foco de incêndio. Claro que deve existir toda uma estrutura preventiva e técnica para complementar estes bravos guerreiros.
P:  No seu entendimento qual a importância de um treinamento de escape?
R:  É o complemento de todo o trabalho que chamo Novo Projeto de Prevenção de Incêndio. O escape é a garantia da integridade dos habitantes deste Condomínio e, nestes termos, nada é mais importante do que este tema.
P:  Que atenção deve ser dada pelo condomínio aos sistemas de prevenção e combate a incêndios?
R:  Toda e mais a que for possível. A prevenção e combate a incêndio é uma estrutura montada por fatores lógicos e eficientes, que combinados, resultam na redução do risco de propagação e no combate, quando for o caso. Prevenir é melhor que remediar.
P:  O que o senhor diria a outros  síndicos que podem estar enfrentando os mesmos problemas que o senhor quando assumiu a sua gestão?
R:  A questão de PREVENÇÃO DE INCÊNDIO deveria ser uma questão obrigatória em todos os complexos prediais – comerciais e residenciais. É lamentável que, apenas ao vivermos exemplos como o do Andorinha e Andraus, é que nos voltamos a buscar a tal da prevenção. Deveria ser uma questão exigida pelo Código Civil a obrigatoriedade de constar em todas as Convenções de Condomínio a obrigação do Síndico ter como PRIORITÁRIA esta questão, devendo se reportar anualmente a todo o condomínio quanto ao estado deste mecanismo. Nada vale mais do que a vida.

Os comentários estão encerrados.